13 Mai

Paladar – O Brasil, a bola da vez por Alex Atala

Por Lia Quinderé em 13/05/2013 às 11h32m

» Comentário (0)

Alex Atala

Na última semana, aconteceu em São Paulo, o 7º Paladar – Cozinha do Brasil, que reuniu os melhores Chefs do nosso país, realizando palestras, workshops e degustações. Foi a minha estreia no evento do Paladar. E o que posso dizer é que foi um turbilhão de informações, que me fizeram parar, pensar, repensar, e voltar com muita vontade de criar e de crescer.

Para que vocês fiquem por dentro de tudo que rolou no Paladar, irei aos poucos dedicar alguns posts, sobre o que vi e vivi lá.
Começamos o evento com o grande Alex Atala, que me fez entender que devemos sair do condicionamento, de fazer tudo sem parar para pensar e entender o porquê as coisas acontecem daquela maneira, e que devemos racionalizar o nosso trabalho. Muitos que estão à frente das cozinhas são replicadores de receitas, sem entender e sem buscar o conhecimento dos processos.

O Chef falou também de criatividade com utilidade. Fazer tudo que todo mundo faz, de uma forma surpreendente, mas que tenha alguma utilidade. Ele, hoje, é o grande embaixador da gastronomia brasileira. Busca o comer bem com os produtos do Brasil. Exemplo disso é o Menu Reino Vegetal, criado por ele.

Dentre os pratos do Menu, está um que faz um protesto. O Chef, utiliza um óleo de carvão e ervas carbonizadas, que conferem ao prato um sabor amargo, de queimado, para lembrar as queimadas que estão acontecendo na Amazônia.

Alex Atala

De acordo com Atala, a cozinha brasileira só vai existir, quando deixar de ser do Chef e passar a ser do povo. E que é preciso entender que existe interpretação cultural de um sabor. Por exemplo, comer insetos aqui pode parecer bizarro, mas em alguns países é comum, ou ainda o abacate, que nós brasileiros, estamos acostumados a comer doce, em forma de abacatada, nos outros países se come salgado e se estranharia comer doce.

Alex discursou ainda, valorizando o serviço de sala, os garçons e a equipe. Disse que a equipe deve viver bem sem o Chef, mas que o Chef sem a equipe não é nada. Terminou se emocionando, ao falar do 6º lugar no 50 best, da revista Restaurant, e dizendo que a geração de Chefs que escondia receitas, acabou. A cozinha brasileira pede Chefs que entendam melhor a cozinha. Os olhos do mundo estão voltados à nós e precisamos fazer que esse conjunto Brasil cresça.  Palmas para Atala. Ele é uma grande inspiração para jovens chefs cozinheiros, como eu.

Tags: , , , ,

Deixe seu comentário

Please type the characters of this captcha image in the input box

Please type the characters of this captcha image in the input box