29 Mai

Festival Gastronômico de Pirenópolis

Por Lia Quinderé em 29/05/2014 às 13h57m

» Comentário (0)

Oi gente, queria contar pra vocês sobre o Festival Gastronômico de Pirenópolis, que aconteceu no último final de semana, em Goiás.  A cidade histórica de Pirenópolis, muito bonita por sinal, chamada também carinhosamente de Piri, recebeu vários Chefs do Brasil e do Mundo para reunir informação e receitas com ingredientes do cerrado. Isso nos mostra que é possível fazer Gastronomia de qualidade com ingredientes do dia a dia, que muitas vezes estão esquecidos.

 

Dentre os chefs, fui convidada e tive a oportunidade de acompanhar de perto o evento. Na ocasião, apresentei técnicas e uma receita com o Requeijão Moreno, um queijo da região; Castanha de Baru, que lembra a Castanha de Caju e o Amendoim;  e Goiaba, que também é uma fruta do cerrado. (segue a receita abaixo).

 

 

Outros chefs, como o francês Laurent Suaudeau, Alberto Landgraf e Carlos Bertollazi também deram um show de aulas no cinema da cidade, que estava sempre lotado.

 

 

No teatro, assisti a uma palestra muito bacana do grande crítico gastronômico Josimar Melo, e do Ivo Ribeiro, proprietário do Tordesilhas de São Paulo. Na ocasião, os dois debateram sobre como os restaurantes das cidades turísticas devem atuar, sobre o que procura o turista, e firmando sobre a valorização do ingrediente regional e brasileiro.

No final do congresso, dei uma fugida para conhecer a região. O Chef Ian Baiocchi e a Marina, sua namorada, um casal muito querido, me levaram para conhecer a Meia Lua, uma cachoeira lindaaaa! Amei tudo! O povo é muito hospitaleiro, carinhoso e acolhedor.

 

 

Agradeço à AGEPEC, que me convidou e à Goiás Turismo, que viabilizou o evento.

Um beijo e até a próxima!

Receita do evento:

 

 

MIELINA DE GOIABA COM SORVETE DE REQUEIJÃO MORENO E CASTANHA BARU

MIELINA DE GOIABA:

400ml de creme de leite;

200g de açúcar cristal;

100ml de mel;

25g de glucose;

50g de manteiga s/ sal;

200g de goiabada.

 

SORVETE DE QUEIJO

300g de leite condensado;

250g de creme de leite;

700g requeijão concentrado (Catupiry);

20g de gelatina em pó s/ sabor;

30g de requeijão moreno.

 

GLAÇAGE

390 ml de água;

600g açúcar cristal;

600g glucose;

430g de leite condensado;

650g de chocolate branco;

108g de gelatina em pó s/ sabor;

Corante vermelho em gel .

Chocolate branco para decorar

Castanha de Baru

 

MODO DE PREPARO

Mielina de goiaba: Em uma panela, coloque o creme de leite, o açúcar, o mel e a glucose. Cozinhe até chegar a temperatura de 125°C. Ao atingir essa temperatura, retire do fogo e acrescente a manteiga e a goiabada, e mexa bem com um fouet. Espalhe em uma assadeira com tapete de silicone e deixe esfriar. Leve a geladeira. Quando firme, com o auxílio de um cortador redondo, recorte o caramelo.

Sorvete de queijo: Esquente uma pequena parte do creme de leite e hidrate a gelatina. Misture o leite condensado, o requeijão concentrado, o moreno e o creme de leite no liquidificador, e bata bem até obter uma mistura cremosa e homogênea. Acrescente a gelatina já hidratada e bata mais um pouco. Cubra o fundo e a lateral de uma forma de meia esfera com o sorvete. Leve ao refrigerador para que firme um pouco. Retire, posicione no centro a mielina com as castanhas, e cubra com o sorvete finalizando a forma. Leva ao freezer.

Glaçage: Ferva a água, o açúcar e a glucose. Misture o corante vermelho ao leite condensado e reserve. Após ferver a mistura, derrame-a sobre o chocolate branco, depois junte o leite condensado com o corante vermelho e mexa bem com o fouet. Retire do fogo e acrescente a gelatina já hidratada, e deixe esfriar até que atinja a temperatura de 28°C a 30°C. Desenforme o sorvete, cubra com a Glaçage e decore com o chocolate branco.

 


Veja mais!

15 Mai

Fondue de Chocolate

Por Lia Quinderé em 15/05/2014 às 11h18m

» Comentário (0)


Fondue (palavra feminina que significa derretido) surgiu na Suíça na época da Segunda Guerra. Os camponeses dos Alpes, produtores de queijos, não tinham acesso às cidades por causa das batalhas e do inverno rigoroso e, para não passarem fome, derretiam os restos de queijo que sobravam e comiam com pão. Deixavam a mistura no fogo, para que continuasse quente. Era um alimento nutritivo, que ajudava a passar o frio e que logo se transformaria no sucesso que é hoje.

Atingiu a fama através de um chef de um restaurante suíço de Nova York, chamado Conrad Egli, que lançou em seu menu, nos anos 50, a iguaria, complementando com o fondue de chocolate que era servido de sobremesa pelo chef. Apesar de ter surgido nos campos, hoje é considerada uma receita refinada. Aproveitem a dica! Vale comer com as frutas ou até mesmo puro, de colher!

INGREDIENTES
> 300 g de Chocolate ao leite
> 250 ml de Creme de leite
> 5 colheres de sopa de Conhaque
> Frutas frescas (morangos, uvas, cerejas, etc)
MODO DE FAZER
Pique o chocolate em pedaços pequenos e reserve. Esquente em uma panela o creme de leite até que inicie a fervura. Quando aparecerem as primeiras bolhas, derrame sobre o chocolate e mexa com uma espátula, até que derreta por completo. Adicione o conhaque e leve o creme à panela de fondue. Sirva com as frutas. Bon Appétit!

OUTRAS DICAS
Não deixe o creme de leite ferver muito, para não criar nata. Se você não gosta do conhaque, acrescente um licor. Amarula é uma boa opção.

Lembre-se que o chocolate que você vai utilizar é o que vai determinar qualidade da sua fondue. Procure um chocolate de qualidade.
Se preferir, substitua o chocolate ao leite por um meio amargo. Você pode substituir as frutas por marshmallows.

O ideal é que se tenha a panela apropriada para a fondue, ela não custa caro, mas improvise com uma tigela de louça e uma velinha pequena em baixo caso você não tenha!

Se preferir, pode ir até a Sucré e comprar o fondue pronto.

 


Veja mais!

05 Mai

50 Best 2014

Por Lia Quinderé em 05/05/2014 às 17h40m

» Comentário (0)

Todos os anos a revista inglesa The Restaurant divulga a lista dos 50 melhores restaurantes do ano, no mundo. A lista tem ganho fama e tirada a atenção do guia Michelin, que confere estrelas aos restaurantes e chefs no mundo, e que por anos a fio, foi quem ditou quem era bom ou não na gastronomia.

Esse ano nosso Brasil foi bem representado pelo grande Alex Atala e o seu DOM, em 7º lugar. O chef ainda ganhou o premio Chef’s choice, que lhe dá destaque entre todos os outros. Outro grande destaque foi a Helena Rizzo, que além de ter o seu Maní em 36º lugar, ganhou o premio de melhor Chef mulher do mundo. Muito orgulho para nós brasileiros e nós mulheres.

(Helena Rizzo, melhor Chef Mulher do mundo e 36º lugar)

Uma vitória que merece ser destacada foi do René Redzepi, e o seu Noma, da Dinamarca. Ano passado, o chef perdeu o primeiro lugar para Joan Roca e o El Celler de can Roca. Mas recuperou-se e voltar ao 1º lugar do mundo.

(René Redzepi, do Noma, 1º lugar do mundo)

Outro destaque é ao Virgilio Martinez que em 2013 ficou em 100º lugar da lista e nesse ano apareceu em nada mais, nada menos que 15º lugar. O Central, restaurante do Chef fica em Lima, no Peru.

(Virgilio Martinez e Maria Pia Leon do central de Lima)

A grande novidade, na minha opinião, foi o premio de melhor Chef confeiteiro, dada à Jordi Roca, confeiteiro do n. 2 do mundo, El Celler de Can Roca. Grande avanço para a confeitaria no mundo.

(Jordi Roca, melhor confeiteiro do mundo)

Para acessar a lista dos 50 melhores, visite o site: http://www.theworlds50best.com/list/1-50-winners#t1-50

Fica a dica pra quem gosta de comer bem. Planeje a viagem com antecedência e faça a reserva antes. A maioria tem lista de espera.

Bjos e até a próxima!!

 


Veja mais!